Menores se entregam à polícia em Agudos-SP

Depois de um intenso cerco policial, dois menores, ambos de 17 anos, se entregaram hoje em Agudos (SP). Com a ajuda de um amigo, um deles é acusado de dar um tiro na cabeça do colega de sala. Os dois se apresentaram na delegacia acompanhados de um advogado. "O advogado ligou, nós esperamos por eles e encerramos as buscas", resumiu o investigador José Aparecido Laurentino.

SANDRO VILLAR, Agência Estado

28 Abril 2011 | 19h51

Os acusados foram levados para a Delegacia de Menores, em Bauru. Depois, serão transferidos para a Fundação Casa da cidade, devendo ficar mais de um mês sem liberdade. "A previsão é que eles ficarão 45 dias na Fundação Casa, aguardando a decisão do juiz", explicou o policial.

O estudante, de 18 anos, saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e está desde hoje em um quarto do Hospital de Base, em Bauru. Ele foi baleado quando entrava na Escola Estadual Professora Nilza Maria Santarém Paschoal. A vítima é suspeita de humilhar e agredir um dos acusados durante jogos de futebol. Por isso, o adolescente quis matá-lo, segundo a polícia de Agudos, que não descarta um possível caso de bullying.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.