Menos de 10% das florestas permanecem intactas, diz Greenpeace

Um estudo divulgado pelo Greenpeace revelou que menos de 10% da superfície terrestre permanece como florestas primárias e identifica áreas de oceanos com necessidade urgente de proteção. A análise, que foi lançada durante a Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) que acontece em Curitiba, no Paraná, conta com relatórios e mapas identificando as últimas áreas intactas de florestas e oceanos do planeta.Usando imagens de satélites recentes e de alta resolução de paisagens com áreas intactas de florestas em todo o mundo, os mapas expõem o peso das atividades humanas - como o desmatamento provocado pela agropecuária de larga escala e a exploração predatória de madeira - sobre as últimas florestas do planeta. As imagens mostram que 82 dos 142 países que possuem florestas já perderam toda a cobertura original. A metodologia utilizada apenas mostra áreas intactas maiores que 500 quilômetros quadrados. As muitas áreas menores de floresta com alto grau de conservação e com necessidade de proteção não estão mapeadas.Os mapas de oceanos, desenvolvidos por especialistas da Universidade de York, no Reino Unido, liderado pelo professor Callum Roberts, identificam áreas marinhas que necessitam de imediata proteção contra a sobrepesca, a pesca predatória, atividades de mineração e poluição. Através de modelos computacionais que combinaram dados científicos com recomendações de mais de 60 biólogos marinhos, o professor Roberts estabeleceu uma rede global de áreas destinadas à criação de reservas marinhas que cobrem 40% das águas profundas dos oceanos. Foi dada atenção especial a hábitats de águas profundas, altamente sensíveis à destruição pela pesca de arrasto. ?Este estudo deixa claro que o estabelecimento de uma rede global de áreas protegidas de florestas e oceanos é urgente, necessário e possível. E pode ser alcançado agora. Caso contrário, em 20 anos, a falta de ação de governos pode resultar na perda de grande parte da biodiversidade para sempre?, disse Christoph Thies, da campanha de Florestas do Greenpeace Internacional.O lançamento dos mapas é parte da campanha do Greenpeace para expor a crescente perda de biodiversidade no planeta devido à destruição das florestas e oceanos.

Agencia Estado,

21 de março de 2006 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.