Menos gordos se beneficiam mais do by-pass gástrico

Pesquisadores da Universidade Stanford avaliaram os efeitos da técnica do by-pass gástrico em pacientes com diferentes graus de obesidade e concluíram que os menos gordos são os que mais se beneficiam da cirurgia.

Karina Toledo com Los Angeles Times, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2011 | 00h00

Foram analisados dados de 981 pessoas com Índice de Massa Corporal (IMC) de 35 a mais de 50. Os pacientes com IMC menor perderam mais peso e apresentaram taxas maiores de remissão do diabete. A pesquisa foi apresentada no congresso da Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

"Esses resultados iniciais sugerem que quanto antes nós conseguirmos tratar a obesidade mórbida e as doenças a ela relacionadas, maiores as chances de bons resultados", afirma John Morton, coautor do estudo.

Hoje, na maioria dos países, a cirurgia bariátrica é indicada para pacientes com IMC acima de 40 ou acima de 35 no caso de comorbidades. Mas há uma grande discussão no meio médico sobre a possibilidade de reduzir esse limite para IMC 30 ou simplesmente abolir o valor do IMC como indicativo para cirurgia.

"O problema é que nenhum país tem condição de tratar cirurgicamente todos os obesos, então optam por tratar primeiro os mais graves", diz o cirurgião Marcos Leão Vilas Boas. Segundo ele, embora a melhora seja menor nos pacientes mais obesos, o impacto na saúde é maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.