Menu postal

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2014 | 02h08

Em vez de cardápio a gente recebe uma carta, em que um imigrante recém-chegado da Itália conta ao compadre o que viu desde que desembarcou no Porto de Santos. A carta, datada de maio de 1889, é assinada por um certo Giuseppe Morosin - homenagem do chef ao bisavô, que se estabeleceu em São José do Rio Pardo. Foi "escrita" depois de intensa pesquisa que Jefferson Rueda fez dos hábitos alimentares dos imigrantes e da roça no início do século 20, material que inspirou o menu-degustação. É para entrar no clima. Depois da carta, cada etapa da refeição se anuncia em postais. O primeiro apresenta as entradas - são cinco -, o segundo, um sorbet de limão e cachaça, para limpar o paladar. Com uma bela foto da Casa do Imigrante, o terceiro cartão postal lista os pratos principais, seis ao todo. E, para terminar, chega o cartão La Dolce Vita anunciando as sobremesas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.