Mercadante descarta que contingenciamento afete MEC

Um dos interlocutores mais próximos da presidente Dilma Rousseff, o ministro Aloizio Mercadante disse na noite desta terça-feira, 16, que não acredita que o contingenciamento em despesas previstas no Orçamento afete o Ministério da Educação (MEC). O governo tem enfrentado dificuldades para definir o tamanho do corte.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

16 de julho de 2013 | 21h38

"Não acredito, com tudo que a presidenta tem feito pela Educação. Acho que a Educação será sempre prioridade, e ela deu uma demonstração fantástica nessa questão dos royalties. Os royalties do petróleo não nasceram das manifestações, foi uma iniciativa da presidente Dilma", disse o ministro, que desconversou ao ser questionado pelo Broadcast, agência de notícias em tempo real da Agência Estado, sobre o tamanho do corte.

Mais conteúdo sobre:
OrçamentoMercadante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.