Mercado considera negativo aumento da fatia da Vale na CSA

O mercado classificou como negativa a notícia de uma elevação da participação da Vale no capital da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), projeto em parceria com a alemã Thyssenkrupp que vai produzir 5 milhões de toneladas de aço por ano no Rio de Janeiro.

REUTERS

23 Julho 2009 | 16h44

Bancos como Itaú, JP Morgan, Bank of America/Merrill Lynch e a corretora Ativa divulgaram relatórios nesta quinta-feira, considerando alto o preço a ser pago, além de desnecessário.

"O valor pago traz implícito um orçamento de 8,1 bilhões de dólares para a siderúrgica, ou 1.624 dólares/tonelada, valor que consideramos elevado, visto que os últimos projetos siderúrgicos estavam situados no intervalo de 1.100 dólares-1.300 dólares/ton", avaliou a corretora Ativa.

A Vale informou na quarta-feira à noite que assinou um memorando de entendimentos no qual se propõe a pagar 965 milhões de euros para elevar sua participação na siderúrgica de 10 para 26,87 por cento. O acordo ainda precisa se aprovado pelo conselho das empresas. Veja mais em: .

Os bancos criticaram a iniciativa lembrando que a Vale não era obrigada a fazer esse investimento e que a obra da CSA já está na fase final, ou seja, não havia ameaça de paralisação do empreendimento.

"Na nossa opinião, não é a melhor utilização dos recursos da Vale", afirmou o JP Morgan em seu relatório, observando, no entanto, que como os demais manterá sua indicação para as ações da mineradora brasileira.

No caso do JP Morgan, a indicação é neutra.

O Itaú Securities também manteve a sua recomendação de outperform para os papéis da companhia, observando que, apesar de negativa, medida evita um eventual atraso da obra da CSA que será um dos grandes clientes da empresa no Brasil.

O Itaú destacou ainda que os preços do níquel --segundo maior negócio da companhia-- vêm melhorando no mercado internacional e que existem perspectivas de melhorar o volume de minério de ferro vendido para Europa e Brasil.

Outro ponto que anula o impacto negativo da CSA seria a contínua valorização do preço do minério no mercado à vista da China.

Apesar das avaliações negativas sobre a iniciativa, os papéis da Vale subiam 2,44 por cento, por volta das 16h20, enquanto o Ibovespa valorizava 2,38 por cento, na esteira de um otimismo global nos mercados acionários.

(Por Denise Luna)

Mais conteúdo sobre:
MINERACAO VALE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.