Mercado reduz estimativa de expansão em 2009 e vê juro a 11,75%

A redução no ritmo de atividade econômica deve garantir uma taxa de crescimento baixa para o Brasil em 2009, o que também deve abrir espaço para uma redução mais acentuada da taxa básica de juro, apontaram analistas em pesquisa semanal divulgada nesta segunda-feira. De acordo com o levantamento feito pelo Banco Central com analistas e empresas no país, a economia deve crescer 2 por cento este ano, abaixo dos 2,40 por cento estimados na pesquisa anterior. Para 2010, os analistas apostam em um crescimento de 3,80 por cento. Essa foi a primeira previsão apurada pelo BC para o comportamento da economia brasileira no próximo ano. Para a inflação, os analistas mantém a aposta de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechará o ano com alta de 5,0 por cento, desacelerando para 4,5 por cento em 2010. Esse cenário garantirá um corte mais acentuado da taxa Selic pelo BC ao longo do ano, o que levará o juro básico brasileiro para 11,75 por cento em dezembro. Atualmente, a Selic está em 13,75 por cento. Para 2010, a estimativa é que o juro básico encerre o ano em 11,25 por cento. (Reportagem de Renato Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.