Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Mercedes-Benz e Honda esperam voltar a produzir na segunda-feira

Fábricas devem retomar produção, após os caminhoneiros começarem a liberar parte das estradas; Vulcabras Azaleia, por outro lado, anuncia paralisação das atividades

André Ítalo Rocha e Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2018 | 18h53

As fábricas da Mercedes-Benz e da Honda no Brasil esperam voltar a produzir na segunda-feira, após os caminhoneiros começarem a desmobilizar a greve e a liberar parte das estradas.

+ Falta de peças paralisa produção nas indústrias

A da Mercedes-Benz, que se localiza em São Bernardo do Campo (SP) e produz caminhões e ônibus, chegou a parar antes mesmo do início da greve dos caminhoneiros, em razão de uma paralisação dos metalúrgicos, em meio a uma negociação salarial. Quando a questão interna foi resolvida, a empresa chegou a produzir por um dia, na sexta-feira da semana passada, antes de começar a ser afetada pelo bloqueio das estradas.

Ao Broadcast, a montadora informou que decidiu emendar o ferido de quinta-feira com o fim de semana, o que deixa o retorno das atividades para segunda-feira.

+ Setor de proteína animal estima prejuízo de R$ 1 bilhão com greve

A Honda, que interrompeu sua produção de automóveis em Sumaré (SP) na quarta-feira passada, afirmou que tem a intenção de retornar na segunda-feira. A retomada, no entanto, depende da normalização da entrega de componentes.

Paralisação. A Vulcabras Azaleia vai paralisar parcialmente as atividades fabris de suas subsidiárias a partir de quinta-feira, 31. Em Fato Relevante, a companhia informa que a greve dos caminhoneiros prejudicou a entrega de materiais, insumos, entre outros componentes. A companhia afirma que a paralisação vai perdurar durante a próxima semana, e os colaboradores afetados terão férias individuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.