Mercedes quer assinar contrato de longo prazo com Hamilton

A Mercedes mal pode esperar o Grande Prêmio de Abu Dhabi do próximo domingo, que irá decidir a temporada da Fórmula 1, para poder fechar um novo contrato de longo prazo com Lewis Hamilton.

ALAN BALDWIN, REUTERS

18 Novembro 2014 | 11h24

O britânico de 29 anos, que pode se sagrar bicampeão mundial no circuito de Yas Marina, ainda tem um ano em seu contrato atual, mas a Mercedes está olhando bem adiante.

“Queremos muito que ele fique por muitos anos mais”, disse a repórteres o chefe da escuderia, Toto Wolff, antes da prova de encerramento da temporada.

“Ele é ótimo para a equipe, é parte da família, o relacionamento que temos é mais do que simplesmente um relacionamento profissional entre piloto e equipe. É de outro nível”, acrescentou.

Hamilton tem uma dianteira de 17 pontos sobre seu colega de equipe, o alemão Nico Rosberg, mas a decisão inédita de conceder pontos duplos em Abu Dhabi significa que a disputa ainda está em aberto.

Rosberg, vencedor de cinco corridas nesta temporada –Hamilton venceu 10– acertou uma renovação de contrato de vários anos em julho.

Wolff disse que a Mercedes concordou em adiar as conversas com o britânico para depois de Abu Dhabi para que ele se concentre na prova.

“Fizemos isso de maneira muito consciente, mesmo quando cresceram os boatos sobre outros pilotos e nossa equipe. Voltamos a nos reunir e dissemos ‘será que deveríamos levar essas conversas adiante?’ e decidimos ‘não, não é o melhor a fazer’”, disse.

“Por isso, na segunda ou terça-feira depois de Abu Dhabi iremos sentar e discutir e, assim espero, encontrar uma solução rapidamente”.

Fernando Alonso, bicampeão do mundo atualmente na Ferrari que deve ir para a McLaren no ano que vem, quando o time inicia uma nova parceria com a Honda, não escondeu seu interesse de ir para a Mercedes em 2016.

Mas os flertes do espanhol devem ser rejeitados, a menos que Hamilton, campeão em 2008, decida mudar de casa.

Mais conteúdo sobre:
F1MERCEDESHAMILTON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.