Merge Healthcare diz que ex-funcionário fabricava contratos

A fornecedora de software de imagens médicas Merge Healthcare disse que um ex-funcionário falsificou contratos, forçando a redução da carteira de encomendas da empresa em mais de 15 milhões de dólares.

Reuters

08 de janeiro de 2014 | 12h43

O funcionário falsificou a existência ou o valor de contratos em dados e análises de negócios da empresa por seis trimestres, até o final de setembro do ano passado, de acordo com uma investigação independente autorizada pela companhia.

A companhia cortou o acúmulo ajustado para o negócio em cerca de 5,8 mil dólares para 2012 e 9,4 mil dólares para 2013, mas não teria de reafirmar os resultados anteriores, uma vez que não havia cobrado clientes ou reconhecido a receita dos contratos falsificados.

A empresa disse também que o funcionário, que reconheceu que os contratos eram inválidos, era pago em comissões na ordem de 250 mil dólares, antes de renunciar em setembro do ano passado.

(Reportagem de Vrinda Manocha)

Mais conteúdo sobre:
TECHMERGEFLASIFICACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.