Mesmo ocupado, traficantes ainda atuam no Alemão

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou, nesta manhã, que traficantes continuam agindo no complexo de favelas do Alemão, na zona norte da cidade, ocupado desde novembro de 2010 por uma força pacificadora do Exército. Agentes da 22ª DP (Penha) apresentam hoje um traficante apontado como o responsável pelo assassinato de um morador do Alemão, no mês passado.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

17 Junho 2011 | 09h58

Segundo a polícia, o eletricista Wallace Moreira Amorim, que morava na favela Nova Brasília, uma das comunidades do complexo, foi morto porque "não teria permitido a existência de uma boca-de-fumo perto de sua residência". A família da vítima, ainda de acordo com a polícia, foi obrigada a abandonar a casa "com medo de represálias dos traficantes que ainda atuam na comunidade".

Júlio Cesar Lopes Faria, conhecido como Juninho, foi preso nesta madrugada e será apresentado na 22ª DP. No fim de maio, o governo do Rio anunciou que os complexos do Alemão e da Penha, ambos na zona norte, devem ganhar nove Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) até o fim do ano.

Mais conteúdo sobre:
Alemão ocupação tráfico UPP Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.