Metrô de SP vai trocar bilhete por cartão eletrônico

Bilhete vai fazer integração com o sistema de trens e ônibus da capital e poderá ser carregado com créditos

Vitor Sorano, do Jornal da Tarde,

05 Novembro 2008 | 09h20

O governo do Estado de São Paulo adotará no metrô um cartão inteligente - com início de operação provavelmente em maio - que agrupará os diversos tipos de passagens e será unificado ainda com os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Não foram informados os valores que serão gastos com o projeto, que tem como meta acabar com os bilhetes de papel. Esse cartão foi anunciado na terça-feira, 4, pelo secretário de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella. Ele integrará o bilhete único - tarifa de R$ 2,40 e possibilidade de integração com os ônibus da capital -, o fidelidade - R$ 2,10 por passagem, mas num lote de 20 unidades - e lazer - R$ 2, das 18 horas de sábado à zero hora de segunda. Na sexta, o Estado adiantou que o governo planeja um cartão para unificar os transportes em toda a região metropolitana até 2010. De acordo com a secretaria, o cartão inteligente é diferente do atualmente utilizado. O carregamento poderá continuar a ser feito nas cabines de bilhete único da Prefeitura - como acontece hoje -, mas a pasta pretende estender o sistema para as bilheterias do Metrô e da CPTM - que hoje vendem os cartões de papel. Os usuários também poderão colocar créditos em cartões, como ocorre com o bilhete único, segundo os técnicos da Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos. Com o novo cartão, a seleção da tarifa paga pelo usuário será feita diretamente na catraca. Por exemplo: quem usar aos domingos desembolsará R$ 2 (ou o preço que estiver em vigor à época da implementação) invariavelmente, uma vez que o bilhete lazer, hoje necessário para dar direito total ao benefício, estará integrado ao modelo inteligente. Os bilhetes de papel são considerados mais suscetíveis a fraudes. O fim deles também coíbe o comércio irregular de passagens. var keywords = "";

Mais conteúdo sobre:
Metrô de SP transporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.