México tem lar para prostitutas idosas

Casa Xochiquetzal atualmente oferece refeições e acomodação a 23 mulheres.

Ignacio de los Reyes, BBC

22 Junho 2011 | 05h57

No centro da Cidade do México, desde 2006 funciona um abrigo para prostitutas idosas, a Casa Xochiquetzal.

Enquanto novas, é fácil encontrá-las pelas ruas de La Merced, um dos principais pontos de prostituição da capital.

Cerca de 300 mulheres já passaram por aqui desde que a instituição abriu as portas, em 2006.

O abrigo oferece cama e três refeições por dia. Atualmente, 23 mulheres moram lá.

Algumas, trabalharam como prostitutas durante décadas.

Outras continuam na vida. Como Carmen, um septuagenária que pediu não ter o rosto fotografado ou filmado.

"De vez em quando faço um programa. Aqui, tenho tudo que preciso, mas quando quero um dinheiro a mais, tenho que trabalhar", afirmou.

A maioria das moradoras da Casa Xochiquetzal foi vendida muito jovens para redes de prostituição por seus pais ou maridos.

Depois de anos nas ruas, muitas chegam no abrigo sem dinheiro, doentes e sem documentos.

"Elas não podem competir no mercado atual, dificilmente conseguem um cliente por dia. Por isso, recebem muito pouco, cerca de 4 dólares por dia, o que significa escolher entre a comida ou uma cama para pernoitar", disse a diretora da Casa Xochiquetza, Rosalva Ríos.

Não existem números oficiais sobre prostitutas idosas na Cidade do México. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.