Microsoft diz que previsão sobre lucro do Vista é exagerada

O presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, disse que as previsões dos analistas quanto à receita do Windows Vista no ano fiscal de 2008 são "exageradamente agressivas". Os comentários de Ballmer surgiram duas semanas depois que a maior produtora mundial de software lançou o Vista, a nova versão do sistema operacional Windows, e previu que os consumidores adotariam o programa em ritmo mais rápido do que no caso de outras atualizações passadas do sistema. Em apresentação sobre estratégia dirigida a analistas, Ballmer disse que o Vista criará "um pequeno pico" nas vendas de computadores pessoais durante o ano fiscal de 2008, mas não estimulará uma grande alta com relação ao ritmo normal de crescimento. "Alguns dos modelos de receita e previsões que existem quanto ao Windows Vista são exageradamente agressivos", disse Ballmer. "Não acredito que tanto dinheiro assim vá sair dos bolsos dos consumidores para a compra de computadores." Em janeiro, a Microsoft lançou o Windows Vista para o público geral, depois de cinco anos de desenvolvimento e diversos adiamentos. O Windows é o sistema operacional de mais de 95% dos computadores do mundo, e representa a maior fonte de lucros da empresa. O Windows é a peça central nos negócios da Microsoft, porque a empresa obtém mais de 75 centavos de lucro operacional para cada dólar que vende. O fluxo de caixa gerado pelo Windows permite que a companhia realize investimentos em novos negócios como players digitais de música e serviços online. O otimismo dos investidores sobre o Windows Vista ajudou a gerar alta de mais de 30% nas ações da empresa de junho em diante, ainda que tenha surgido uma ligeira queda nas últimas semanas. Todd Lowenstein, co-administrador de fundos no Value Momentum Fund, da HighMark Capital Management, que investe cerca de 3% de sua carteira total de US$ 1,5 bilhão em ações da Microsoft, disse que o mercado talvez tenha se animado demais com o Vista. "A ação teve momentos quentes nas últimas semanas, e talvez tenha se afastado dos fundamentos", afirmou. "No futuro, haverá forte migração para o Vista, e acreditamos que ele será um grande catalisador." A Microsoft prevê vendas da divisão Windows aumentando 11% a 12% no atual ano fiscal, que se encerra em junho, em relação ao faturamento de US$ 13,2 bilhões obtido no ano passado. Analistas em média esperam que a Microsoft tenha vendas de US$ 56,4 bilhões no ano fiscal de 2008, que começa em julho, o que seria um aumento de 12% em relação ao previsto para este ano, segundo dados da Reuters Estimates.

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 15h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.