Milhares de romenos vão ao funeral de patriarca ortodoxo

A comunidade cristã ortodoxa da Romênia é a segunda maior do mundo, atrás apenas da russa

03 de agosto de 2007 | 15h12

Milhares de romenos e centenas de representantes de igrejas cristãs de todo o mundo deram adeus, nesta sexta-feira, 3, ao patriarca da Igreja Ortodoxa Romena, Teoctist, que morreu na segunda-feira, aos 92 anos.   O patriarca, que durante 21 anos foi o líder espiritual da segunda maior igreja ortodoxa do mundo - a trás apenas da russa - foi sepultado na Catedral Metropolitana de Bucareste.   A missa foi celebrada pelo patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I. Entre as homenagens laicas, a banda do Regimento de Guarda executou o hino nacional da Romênia e disparou três salvas de fuzil.   No Palácio Patriarcal, representantes de 61 igrejas do mundo e representantes pessoais do patriarca Alexei II da Rússia, do papa Bento XVI e do arcebispo de Cantuária expressaram condolências.   Em nome do Vaticano, o cardeal Walter Kasper relembrou a visita de João Paulo II à Romênia em 1999, a primeira de um bispo romano a um país ortodoxo. Falou também da visita de Teoctist ao Vaticano em 2002, citada como "um novo impulso aos laços fraternos entre as igrejas".   Segundo muitos teólogos, Teoctist deixa uma igreja ortodoxa fortalecida na Romênia, país onde mais de 80% da população, de 22 milhões, pertence à confissão.

Tudo o que sabemos sobre:
igreja ortodoxaromêniapatriarca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.