Milhares de torcedores participam de desfile do Chelsea em Londres

Fãs e jogadores celebram a conquista da Champions League, no sábado, em que time inglês venceu Bayern.

BBC Brasil, BBC

20 Maio 2012 | 13h15

Milhares de torcedores da equipe inglesa do Chelsea estão acompanhando o desfile da equipe pela região Oeste de Londres.

Os jogadores do time vencedor da Champions League, no sábado, deram início ao desfile em seu estádio, Stamford Bridge, às 16h deste domingo.

O Chelsea, conhecido como The Blues, por conta de seu uniforme azul, venceu o Bayern de Munique, no sábado, no estádio do adversário, em Munique, na Alemanha, por 4 a 3 nos pênaltis,

No tempo regulamentar da partida as duas equipes empataram em 1 a 1.

Aipo liberado

O desfile do Chelsea contou com dois ônibus abertos. Os jogadores, carregando o troféu da competição conquistada neste sábado, estavam no ônibus da frente.

Os fãs jogaram aipo nos jogadores - uma tradição inusitada que começou no final dos anos 80 e que, ao contrário do que pode parecer, é um sinal de respeito.

O time chegou a proibir seus torcedores de trazer aipo para o estádio de Stamford Bridge, mas o ritual esteve presente na festa da conquista do título europeu neste domingo.

O início da tradição estaria ligado a uma das canções entoadas por torcedores do time durante seus jogos, intitulada Celery (Aipo).

O atacante Didier Drogba, que marcou dois gols na final do torneio - um no tempo regulamentar e outro nos pênaltis - era um dos destaques do desfile, no ônibus da frente, ao lado do capitão da equipe, John Terry, e do lateral Ashley Cole.

Cerca de 70 mil torcedores ingleses foram às ruas durante a última grande conquista do Chelsea, em 2010, quando o time ganhou tanto a Premier League, o Campeonato Inglês, como a FA Cup, a Copa da Inglaterra. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
chelsea bayern munique

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.