Milhares marcham em Roma contra reforma do mercado de trabalho

Dezenas de milhares de trabalhadores marcharam pelo centro de Roma neste sábado contra a reforma do primeiro-ministro, Matteo Renzi, do mercado de trabalho, liderados por um popular chefe sindical que é visto por muitos como um possível futuro líder da esquerda italiana.

REUTERS

28 de março de 2015 | 14h59

A marcha foi organizada pelo principal sindicato de engenharia da Itália, o FIOM, cujo líder, Maurizio Landini, está tentando unir a esquerda política fragmentada no que chama de uma "coligação social" contra Renzi.

Ele acusa o primeiro-ministro de mover seu Partido Democrático (PD) muito longe em direção ao centro político, abandonando raízes tradicionais.

"Uma nova primavera começa hoje para a Itália", disse Landini, cercado por simpatizantes com bandeiras vermelhas do FIOM. "Estamos prontos para a batalha sabendo que temos mais apoio do que o governo."

Sob Renzi, o PD tornou-se, de longe, o maior partido da Itália, ajudado por divisões na centro-direita que tem sido enfraquecida pelos problemas legais de seu líder Silvio Berlusconi.

A marcha deste sábado teve a presença de Nichi Vendola, líder do pequeno partido de esquerda SEL e vários legisladores esquerdistas proeminentes do próprio PD de Renzi.

(Por Gavin Jones)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAMARCHATRABALHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.