Milhares protestam na Ucrânia, desafiando proibição judicial

Mais de 100 mil ucranianos reuniram-se na capital Kiev neste domingo, desafiando novas leis que visam a erradicação de protestos anti-governo.

RICHARD BALMFORTH E NATALIA ZINETS, Reuters

19 de janeiro de 2014 | 12h18

O encontro, o maior deste ano em um ciclo de protestos pró -Europa na ex-república soviética nos últimos dois meses, foi estimulado pela legislação levada às pressas pelo parlamento na semana passada e a oposição diz que levará a um estado policial.

Com o aumento significativo das adesões no confronto com o presidente Viktor Yanukovich, líderes da oposição anunciaram um plano para levantar assinaturas das pessoas que expressam nenhuma confiança em sua liderança e no Parlamento.

Eles apelaram para movimentos para estabelecer uma estrutura paralela - incluindo uma assembleia do povo e uma nova constituição, que foram denunciados como inconstitucionais na quinta-feira no Parlamento por apoiadores de Yanukovich.

Embora a criação de uma estrutura de poder alternativa possa não ser realista, a manifestação de domingo também sugeriu que poderia ser difícil para as autoridades tentarem resolver a crise, pelo uso da força, apesar da proibição do tribunal e as novas leis.

Mais conteúdo sobre:
UCRANIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.