Milhares protestam no Iêmen e tribais derrubam avião militar

Dezenas de milhares de pessoas protestaram em Sanaa, no Iêmen, nesta quarta-feira, contra o retorno do presidente Ali Abdullah Saleh da Arábia Saudita, enquanto homens tribais da oposição derrubaram a tiros um avião de guerra fora da capital e capturaram o piloto.

ERIKA SOLOMON, REUTERS

28 de setembro de 2011 | 08h43

Carregando bandeiras e fazendo sinais de paz, os manifestantes pediam a saída de Saleh e marchavam a partir da "Praça da Mudança" gritando "Morte, morte".

"A questão é, se não podemos viver uma vida decente e digna, preferimos morrer", afirmou Khaled al-Mandi.

Os manifestantes disseram estar cansados da crescente pobreza, corrupção e falta de lei em um país onde duas em cada três pessoas sobrevivem com menos de 2 dólares por dia.

O retorno de Saleh enfureceu muitos cidadãos que acreditavam terem visto o líder pela última vez quando uma tentativa de assassinato em junho o forçou a voar para a vizinha Arábia Saudita em busca de tratamento médico. Mas ele retornou a Sanaa na sexta-feira "carregando a pomba da paz e o galho de oliveira".

Antes do retorno dele, manifestantes tentando expandir o acampamento precário em Sanaa foram pegos em uma batalha entre forças de Saleh e soldados leais a um general dissidente. Ao menos 100 pessoas, principalmente manifestantes, foram mortas.

Embora a violência tenha diminuído desde o retorno de Saleh, as tensões ainda estão elevadas e muitos temem que a calmaria eventualmente dará lugar a um confronto ainda mais sangrento, senão uma guerra civil.

Na terça-feira, organizadores dos protestos tentaram aumentar o número de manifestantes planejando rotas menos arriscadas pela capital, depois que a violência acabou afastando algumas pessoas das ruas.

A Arábia Saudita e os Estados Unidos apoiaram Saleh no passado para conter um braço ativo da Al Qaeda que se enraizou no Iêmen, mas a crescente falta de leis gera temores de uma guerra civil que pode sacudir uma das nações que mais produzem petróleo no mundo.

Fora de Sanaa, homens tribais derrubaram um avião de guerra a tiros e capturaram o piloto na região montanhosa de Naham, onde a força aérea estava bombardeando tribais armados da oposição, disse uma fonte tribal.

Uma autoridade militar disse que o avião, um jato de combate Sukhoi feito na Rússia, foi derrubado quando realizava uma missão de rotina.

A fonte tribal informou que os homens atacaram o jato com armas anti-aéreas e prenderam o piloto, que havia sobrevivido. Mais cedo nesta semana, um general e três homens tribais foram mortos em um confronto na base militar em Naham.

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENPROTESTOSAVIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.