Milho híbrido mais acessível ao produtor

Universidade Federal de Lavras desenvolve sementes do cereal para atender a pequenos e médios agricultores

Tânia Rabello, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2008 | 02h22

A partir do ano que vem uma empresa de Goiás terá disponíveis sementes de milho híbrido de alta produtividade a preços mais acessíveis ao produtor que não necessariamente é de grande porte, mas tem interesse em usar sementes de qualidade. A empresa fechou, recentemente, contrato para multiplicar e comercializar sementes de milho híbrido desenvolvidas pela Universidade Federal de Lavras (Ufla-MG) que, desde 1999, mantém programa de desenvolvimento de híbridos para atender à indústria nacional. Conforme o agrônomo e professor do Departamento de Agronomia da Ufla, Renzo Garcia Von Pinho, ao contrário das multinacionais do setor, as empresas nacionais não têm capital para investir na pesquisa e no desenvolvimento de sementes híbridas. "Além disso, sementes híbridas que exigem médio ou baixo investimento, embora produtivas, não são o foco das multinacionais", diz Von Pinho, acrescentando que o trabalho da Ufla tenta atender ao produtor que quer adquirir tecnologia de custo mais baixo, porém eficiente. Até agora, a Ufla já desenvolveu nove sementes de milho híbrido, para os mais diversos usos: silagem, grãos e alimentação humana. "Num momento de alta generalizada de insumos, comprar tecnologia eficiente e de baixo custo compensa e muito", diz Von Pinho. Informações, tel. (0--35) 3829-1315.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.