Militantes do Greenpeace foram condenados

Os ativistas do Greenpeace Junichi Sato e Toru Suzuki foram condenados a um ano de prisão em 2010, após terem sido acusados de furtar uma caixa de carne de baleia quando tentavam denunciar o tráfico ilegal do produto. Os dois tiveram suspensão condicional da pena e estão em liberdade. Eles furtaram em 2008 uma caixa com 23 quilos de carne de baleia, que entregaram às autoridades alegando que a mercadoria era ilegalmente transferida para casas de membros da tripulação de um navio baleeiro e seria vendida clandestinamente. Desde que eles foram processados, o Greenpeace passou a atuar mais politicamente e não voltou a fazer ações na Antártida, Hoje, Sato é o diretor-executivo da ONG no Japão e Toru continua na equipe.

, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.