Militantes matam 13 soldados na Argélia, diz fonte de segurança

Militantes islâmicos mataram 13 soldados argelinos na região de Kabylie, no norte do país, disse uma fonte de segurança à Reuters neste sábado.

REUTERS

16 de abril de 2011 | 14h07

A emboscada aconteceu entre Azazga e Yakouren, ao leste da cidade de Tizi Ouzou, área considerada uma fortaleza da Al Qaeda no Maghreb Islâmico.

"O ataque aconteceu na sexta-feira por volta de 19h15 (horário local)", disse a fonte, que pediu para não ter o nome revelado, à Reuters.

O braço da Al Qaeda no norte da África, conhecido anteriormente como Grupo Salafista de Pregação e Combate, tem reivindicado a autoria dos ataques realizados nos últimos anos na Argélia, país que pertence à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

O grupo é remanescente de uma insurgência ainda maior que protagonizou uma guerra civil no país na década de 1990, na qual estima-se que 200 mil pessoas tenham sido mortas. A violência tem diminuído com as sucessivas ofertas de anistia do governo para que os rebeldes se desarmem.

(Reportagem de Lamine Chikhi)

Mais conteúdo sobre:
ARGELIADEZESSEISMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.