Militares gays se casam na Argentina

BUENOS AIRES

Ariel Palácios, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2011 | 00h00

Um tenente-coronel e um capitão do Exército formam o primeiro casal de militares a realizar uma união oficial sob o amparo da lei de casamento entre pessoas do mesmo sexo na Argentina. O país foi o primeiro da América Latina a reconhecer a união homossexual.

O Ministério da Defesa preferiu não fazer declarações sobre o casamento. No entanto, o ministério destacou que há três anos as Forças Armadas não perguntam mais a seus integrantes sobre seus vínculos familiares.

Durante mais de um século, os oficiais argentinos precisaram solicitar permissão ao comando das Forças Armadas para se casar. A regra foi extinta em 2008.

Os dois oficiais não vestirão seus uniformes de gala com as respectivas condecorações durante a cerimônia, já que essa norma é aplicada apenas em casamentos religiosos. Dois outros oficiais da mesma entidade também iniciaram os trâmites para o casamento.

Desde que a lei do casamento gay foi aprovada na Argentina, em julho do ano passado, foram registradas mais de 3 mil uniões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.