Minc: 'Quem desmatar sofrerá ação da Polícia Federal'

O ministro no Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou hoje em reunião do fórum de governadores em Belém (PA), que a resolução do Banco Central que bloqueia crédito agrícola para quem não possui regularização ambiental será mantida. Ele garantiu que quem quiser regularizar sua situação terá todo apoio para as atividades extrativistas, e declarou que o governo vai oferecer "milhões de reais, preço mínimo, tudo de bom". E destacou ainda: "Para quem estiver na ilegalidade para desmatar, sofrerá a ação da Polícia Federal". Minc, chegou a Belém vindo da Alemanha, onde foi reivindicar ajuda financeira para a Amazônia.Ele disse que a Operação Arco Verde terá recursos para o bom desenvolvimento, mas que a Operação Arco de Fogo terá mão dura contra a impunidade ambiental e os criminosos ambientais. Apesar do governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), ser a favor da revogação da resolução, Minc afirmou que principalmente agora que começa a estiagem na região amazônica - nos meses de junho, julho e agosto - "não se pode dar crédito para desmatar".O ministro explicou que alguns municípios não serão atingidos pela resolução por não pertencerem ao bioma Amazônia. Propriedades que ficam na fronteira em área de cerrado ou pantanal deverá ter acesso à financiamentos. Um pouco antes, Maggi afirmou que não se podia ser simplista impedindo quem está produzindo de produzir. "Uma proibição pode levar a um aumento da ilegalidade", alertou ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.