Mineiros da Lonmin entram em greve novamente na África do Sul

A Gold Fields disse que a maioria dos mineiros retornou ao trabalho após uma greve atingir as operações da empresa na África do Sul nesta quinta-feira, mas uma nova paralisação na mina de platina da Marikana, controlada pela Lonmin, diminuiu as esperanças de um fim ao maior conflito trabalhista no país desde o apartheid.

Reuters

18 de outubro de 2012 | 12h44

Mais de 80 mil mineiros entraram em greve desde agosto em, algumas vezes, paralisações violentas que estão atingindo o crescimento e a confiança do investidor na maior economia africana e aumentando os questionamentos sobre a liderança do presidente Jacob Zuma.

Em uma medida surpreendente, 4 mil trabalhadores da mina de Marikana não foram trabalhar nesta quinta-feira, interrompendo as operações mais uma vez na fábrica onde a polícia matou 34 mineiros em greve em agosto.

"Houve interrupções desde ontem em vários turnos", disse a porta-voz da Lonmin Sue Vey. Uma carta da companhia disse que a empresa acredita que os trabalhadores estão protestando contra a prisão de três mineiros como parte de uma investigação policial.

(Por Sherilee Lakmidas)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOGREVEAFRICADOSUL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.