Ministério amplia uso de remédio contra gripe suína

O Ministério da Saúde vai mudar a política de tratamento para a Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. Em vez de um protocolo rígido, único para todo o País, a forma do uso do antiviral oseltamivir (comercializado com o nome de Tamiflu) ficará a critério do médico, desde que respeitadas determinações da vigilância local. Isso significa que o profissional poderá iniciar o tratamento com o remédio quando quiser, com a dose que achar necessária e pelo tempo que julgar mais indicado. Em alguns casos - pacientes em estado muito grave, internados, com vômito ou entubados - será possível até mesmo duplicar a dose.

AE, Agencia Estado

04 Agosto 2009 | 09h04

As mudanças fazem parte de um manual, que está sendo preparado pelo Ministério da Saúde e que deverá ser lançado ainda esta semana. ?Tudo deverá ser feito de acordo com argumentações científicas. É dada liberdade ao profissional, mas que deve ser usada de forma criteriosa?, afirmou o diretor do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, David Uip. Até agora, o uso do medicamento está restrito para pacientes com sintomas de agravamento e pessoas com gripe que apresentem fatores de risco.

O infectologista participou, ao lado de mais de uma dezena de especialistas, de uma discussão ontem com integrantes do Ministério da Saúde para tratar de alterações na forma da condução do tratamento. Segundo ele, as mudanças foram feitas para dar maior agilidade e flexibilidade ao tratamento. Uma das preocupações é aumentar os cuidados com pacientes considerados de alto risco, principalmente mulheres grávidas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.