Ministério diz que gripe suína está sob controle no BR

A ministra interina da Saúde, Márcia Bassit, informou há pouco, durante pronunciamento no Ministério da Saúde, que a gripe suína no Brasil "está absolutamente sob controle" e que a orientação das autoridades é para que a vigilância continue a ser feita do mesmo jeito que vem sendo realizada desde abril, quando foram anunciados os primeiros casos da doença. Márcia disse que, apesar de a letalidade da doença ser de 0,5%, isso não diminui em nada a responsabilidade das autoridades quanto ao controle e vigilância.

JOÃO DOMINGOS, Agencia Estado

11 de junho de 2009 | 13h19

Os comentários da ministra interina foram feitos por causa do anúncio da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que a doença virou pandemia e atingiu 74 países. De acordo com Márcia Bassit, a transmissão no Brasil permanece limitada e sem sustentabilidade. "O Brasil se antecipou a todas as medidas recomendadas pela OMS", disse ela. Por isso, o fato de a organização ter elevado a doença à categoria de pandemia não muda a situação no Brasil.

"O governo brasileiro continua atento para a vigilância, a elaboração de diagnósticos e tratamento da doença. Continuamos vigilantes em portos, aeroportos e em toda a fronteira. Continuamos monitorando as pessoas que tiveram contato com outros que tinham a doenças. As ações se mostraram eficazes e vão ser mantidas", disse a ministra. Ela acrescentou que as autoridades do Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias estaduais e municipais de Saúde, trabalham dia e noite desde o dia 24 de abril, quando foi noticiada a gripe suína.

"A situação está totalmente sobre controle. Temos 52 casos confirmados. Destes, 39 (75%) foram importados de outros países. A maioria, depois de tratada, já voltou para casa e está bem. A população continua sendo orientada a procurar a unidade de saúde mais próxima quando sente qualquer sintoma. Lá, o paciente é avaliado e será encaminhado, caso necessário, para um dos 53 hospitais de referência para o caso", disse ela. "Temos ainda 192 núcleos de vigilância epidemiológica no País, 900 leitos reservados, kits e medicação específica. Temos também outros 9 milhões de kits de tratamentos em estoque".

A ministra interina disse que desde 2000 o Brasil tem uma rede de vigilância epidemiológica, o que o deixa preparado para enfrentar uma situação como a atual. "A população pode ficar tranquila, mesmo com o anúncio de elevação do nível de alerta", disse a ministra. Desde 1968, essa é a primeira vez que a OMS eleva uma doença ao grau de pandemia. Naquela ano, um surto de gripe causou a morte de mais de 1 milhão de pessoas em todo o mundo.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.