Ministro da Saúde critica paralisação dos médicos

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, criticou a paralisação promovida ontem pelos médicos. "Eu não acho correto prejudicar a população cancelando cirurgias e consultas por conta de um programa que não baixa o salário de ninguém, não tira o emprego de ninguém, pelo contrário, gera emprego e oportunidade aos médicos brasileiros. Não concordo que se prejudique ainda mais a população brasileira cancelando cirurgias e consultas. Quer apresentar propostas, apresente, mas não parta para uma tática que prejudica a população, principalmente a população do SUS, porque a cirurgia cancelada foi no SUS, a consulta cancelada foi no SUS", afirmou o ministro, durante a inauguração de um hospital no Rio de Janeiro.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 00h07

"Eu fiquei a manhã toda na Faculdade de Medicina da USP ouvindo propostas ao Mais Médicos. (...) Essa é uma boa forma de participação, e o Ministério está aberto ao diálogo. Apresentamos uma solução concreta. Se houver outras sugestões, serão muito bem vindas. O que não concordo é que se prejudique a população que já espera meses por uma cirurgia, uma consulta", disse Padilha. "O problema não é só distribuição (de médicos). Faltam médicos no nosso País", reafirmou.

Mais conteúdo sobre:
Padilhamédicosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.