Ministro da Saúde diz que Lei Seca não terá recuo

Para José Gomes Temporão, quem não cumprir lei vai mudar de opinião quando for preso

Angela Lacerda, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 15h12

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse nesta sexta-feira, 11, no Recife, que "o governo não arredará pé nem um milímetro" em relação à Lei Seca. "Quem não pretende cumprir a lei vai mudar de opinião rapidamente quando for preso", afirmou ao avaliar que nestes casos a prisão terá efeito pedagógico.  Veja também:Os efeitos do álcool e os limites da lei seca  Lei seca tem aprovação de 72% em São Paulo  Entenda os principais pontos da Lei Seca   Para ele, eventuais liminares judiciais - a exemplo de se conseguir direito de não fazer o teste do bafômetro - não representam uma ameaça à lei. "Não há possibilidade de recuo", afirmou ao lembrar que o Brasil não poderia continuar a conviver com 17 mil mortes por acidentes devido à ingestão de álcool como ocorreu no ano passado. O ministro observou que uma avaliação consistente da lei e seus efeitos só será possível daqui a um ano, mas adiantou que o Ministério "está radiante" com os primeiros resultados. Segundo ele, 80% da população de São Paulo e do Rio apóiam a lei como ela está, sem modificações.

Tudo o que sabemos sobre:
Lei SecaTemporãoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.