Ministro de Israel acusado de corrupção irá concorrer em eleição

Avigdor Lieberman confirmou neste sábado que vai concorrer nas eleições israelenses no mês que vem, apesar da acusação por corrupção que está levando ele a pedir demissão do cargo de ministro do Exterior.

Reuters

15 Dezembro 2012 | 17h36

Autoridades disseram que Lieberman será indiciado por causa das supostas irregularidades na promoção de um diplomata israelense. O diplomata teria vazado para Lieberman informações de uma investigação da polícia sobre o as atividades do ministro.

"Ele está somente deixando o seu posto de ministro do Exterior e de vice-premiê, mas continua como líder do partido Yisrael Beiteinu e o número dois na lista Likud Beiteinu", disse Ashley Perry, porta-voz de Lieberman. Um assessor declarou que Lieberman entrega a carta de demissão do ministério no domingo.

O partido de Lieberman, Yisrael Beiteinu (nossa casa é Israel, em português), de direita, e o Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, se juntaram numa única lista para as eleições de 22 de janeiro, a Likud Beiteinu, que segundo as pesquisas, deve vencer o pleito.

Lieberman vem atrás de Netanyahu na lista, e, antes do indiciamento, a expectativa era que ele manteria o seu status num futuro governo, caso a lista vencesse.

Uma condenação pode desqualificá-lo a atuar como ministro, mas a lei não o impede de concorrer nas próximas eleições.

Na sua página no Facebook, Lieberman escreveu esperar que o caso se encerre antes do pleito e que ele volte ao governo.

(Por Maayan Lubell)

Mais conteúdo sobre:
ISRAELMINISTROELEIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.