Ministro francês diz que Air France abandonou plano para unidade de baixo custo

O ministro dos Transportes da França, Alain Vidalies, disse nesta quarta-feira que a Air France-KLM abandonou um projeto para expandir seu braço de baixo custo Transavia, aparentemente indo além da administração da companhia, que buscou insistir que o plano está apenas suspenso.

REUTERS

24 Setembro 2014 | 07h43

A pressão para que a Air France-KLM desista do plano de expansão tem aumentado diante de uma greve de pilotos preocupados com a possibilidade de que a unidade de baixo custo sugue postos de trabalho e corroa seus salários. Mais cedo nesta semana, a empresa suspendeu o lançamento para o fim do ano para mais discussões com sindicatos.

A greve entrava em seu décimo dia nesta quarta-feira e a Air France esperava operar apenas 46 por cento dos voos. A companhia disse que a paralisação está custando até 20 milhões de euros por dia.

"O projeto da Transavia Europe foi abandonado", disse Vidalies à rádio RMC. "Ele não está suspenso por três meses, ele foi retirado pela administração".

Reagindo às palavras do ministro na rádio Europe 1, o presidente-executivo da Air France, Frederic Gagey, ecoou as palavras do chefe da controladora Air France-KLM, Alexandre de Juniac, mais cedo nesta semana, afirmando que o projeto pode eventualmente ter que ser abandonado, mas somente se negociações com os sindicatos falharem.

(Por James Regan)

Mais conteúdo sobre:
AVIACAOAIRFRANCEMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.