Miriam Belchior, gestora do PAC, vai para o Planejamento

Miriam Belchior, confirmada nesta quarta-feira a nova ministra do Planejamento, é a responsável, na Casa Civil, pela coordenação das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal projeto do governo federal.

CARMEN MUNARI, REUTERS

24 de novembro de 2010 | 16h00

Primeira mulher anunciada para o primeiro escalão pela presidente eleita Dilma Rousseff, Miriam integra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde 2003, início do primeiro mandato do petista. Lula a chamou para trabalhar ainda na equipe de transição em 2002.

Depois de atuar como assessora especial da Presidência, foi levada para a Casa Civil em 2004 pelo ex-ministro e deputado cassado José Dirceu.

Miriam, de 52 anos, foi secretária de Inclusão Social e Habitação da gestão do ex-prefeito de Santo André (SP) Celso Daniel (PT), assassinado em 2002, com quem foi casada por dez anos, mas já estava separada quando de sua morte.

Ela chegou a ser envolvida nas investigações da gestão do prefeito, que apontavam para um esquema de corrupção que tomava dinheiro de empresas de ônibus e de coleta de lixo para manter um caixa dois com o objetivo de financiar campanhas do PT. Celso Daniel teria sido eliminado por ter se tornado um obstáculo aos integrantes do esquema.

Em depoimento ao Ministério Público, como testemunha, Miriam Belchior negou qualquer participação no caso. Miriam disse não ter conhecimento ou conivência com o suposto esquema de corrupção, informou à Reuters o Ministério Público, acrescentando que ela não é ré nas seis ações existentes sobre o caso.

O atual chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, também foi secretário na gestão de Celso Daniel.

Miriam foi cotada para assumir a Casa Civil em setembro último, quando Erenice Guerra deixou a pasta após denúncias de tráfico de influência. Seu nome também foi ventilado quando Dilma Rousseff saiu do ministério para concorrer às eleições em março.

No Planejamento, vai ocupar posto que, no governo Lula, é de Paulo Bernardo desde 2005, depois de ter sido comandado por Guido Mantega e Nelson Machado. A pasta deve passar a abrigar a gestão do PAC.

Formada em engenharia de alimentos pela Unicamp com mestrado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas, ocupou por cinco anos, até abril de 2010, um assento no conselho de administração da Eletrobrás.

(Edição de Maria Pia Palermo)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAPERFILBELCHIOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.