MMX negocia parcerias para elevar volumes de minério

A MMX, empresa de mineração do empresário Eike Batista, está negociando parcerias para desenvolver projetos de minério de ferro ao longo do trajeto da ferrovia da MRS que atravessa o Estado de Minas Gerais até um porto em construção do grupo EBX, no litoral fluminense, disse o presidente da empresa, Roger Downey, nesta terça-feira.

SABRINA LORENZI, REUTERS

27 de setembro de 2011 | 19h07

Além de participar de projetos já existentes de pequenos e médios produtores, a MMX deverá ainda desenvolver novas minas com a aquisição de direitos minerários nas proximidades da MRS, com quem negocia para o transporte de minério.

"A ideia é aproveitar o porto (do Sudeste) e a MRS naquele trajeto", disse o executivo a jornalistas após apresentação no 14o Congresso Brasileiro de Mineração, em Belo Horizonte. "Estamos conversando com algumas empresas, existem várias possibilidades", acrescentou.

Seguindo esta estratégia, a empresa fechou recentemente parceria com a Minerinvest Mineração, pelo qual poderá comprar até 5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, ao preço de 64 dólares por tonelada.

Por outro lado, o acordo preliminar também prevê que o Superporto Sudeste irá embarcar até 5 milhões de toneladas de minério de ferro da Minerinvest por ano, por 10 anos a partir do início das operações da instalação.

Downey espera fechar contratos para ocupar toda a capacidade do porto, de 100 milhões de toneladas, segundo o projeto de duplicação. A capacidade prevista na primeira etapa do porto, de 50 milhões de toneladas, já está toda comprometida, segundo a empresa.

FINANCIAMENTO

Para ampliar seu grande projeto na região --Serra Azul--, a MMX espera captar 1,8 bilhão de dólares até o final do ano.

O executivo afirmou que uma parte da operação "já está bem adiantada", mas não deu detalhes sobre o financiamento.

"Estamos bem confortáveis. Não vamos fazer financiamento a qualquer custo", disse.

Para atrair investidores, Downey prepara um "road show" mundo afora e no trajeto incluiu países asiáticos, ainda em outubro, disse ele, sem dar detalhes.

O projeto de ampliação de Serra Azul exige investimentos de 4 bilhões de reais.

A capacidade de produção anual do projeto e outros no entorno é da ordem de 34 milhões de toneladas, segundo o exeucutivo.

PREÇOS

O executivo avalia que a demanda por minério de ferro no mundo deve permanecer aquecida e os preços não deverão recuar, se mantendo no patamar de 150 a 200 dólares por tonelada.

Apenas em 2014, com a entrada de muitos projetos em operação e o aumento da oferta, o preço deverá ser afetado, segundo ele.

"Não tem nada que mostre que a demanda vai recuar nos próximos meses. A oferta vai permanecer assim por algum tempo", disse.

As ações da MMX fecharam em alta de 1,5 por cento, enquanto o Ibovespa subiu 0,3 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOMMXATUADOIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.