Moagem de cana acelera em agosto, mas atraso permanece

A moagem de cana na região centro-sul do Brasil atingiu 261,09 milhões de toneladas no acumulado da safra 2012/13, queda de 12,6 por cento ante igual período do ciclo anterior, mas os trabalhos foram acelerados na última quinzena, afirmou União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) nesta quinta-feira.

Reuters

23 de agosto de 2012 | 15h20

O setor conseguiu reduzir o déficit na moagem no acumulado da safra na primeira quinzena do mês graças ao tempo mais seco, que favoreceu a colheita da matéria-prima do açúcar e do etanol.

Somente na primeira quinzena de agosto, as usinas do centro-sul do Brasil moeram 44,25 milhões de toneladas, um incremento de 14,20 por cento se comparado à mesma quinzena do ano anterior.

A escassez de chuvas no período permitiu o firme avanço da moagem, a exemplo do que foi visto na maior parte do mês de julho. Contudo, apesar dessa expansão da moagem quinzenal, a Unica ressalta a dificuldade de recuperar o atraso inicial da moagem, após um clima atipicamente chuvoso entre maio e junho.

"Mesmo que nos meses subsequentes as condições climáticas sejam propícias ao desenvolvimento da colheita, não será viável recuperar este significativo atraso na moagem até meados de dezembro, principalmente porque esta defasagem se concentra no Estado de São Paulo", disse Antonio de Padua Rodrigues, presidente interino da Unica.

AÇÚCAR

A produção de açúcar no acumulado da safra 2012/13 até 16 de agosto atingiu 15,32 milhões de toneladas, ainda 12,3 por cento inferior se comparado a igual período da última temporada.

Na quinzena, a produção de açúcar avançou 13,7 por cento, para 3,02 milhões de toneladas. No período, o percentual de cana destinado para produzir açúcar somou 51,4 por cento.

Os futuros do açúcar bruto negociados em Nova York aceleraram queda após a divulgação dos dados. Por volta das 14h40 (horário de Brasília), o contrato outubro caía 0,28 centavo, a 19,66 centavos de dólar por libra-peso.

A produção de etanol totaliza no acumulado da safra 9,95 bilhões de litros, com uma queda de 17,5 por cento ante igual período do ano anterior. Nos primeiros quinze dias de agosto, porém, a produção de etanol avançou 8,1 por cento, para 1,75 bilhão de litros.

(Reportagem Fabíola Gomes)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSCANAUNICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.