Mocidade Independente é a 2.ª a festejar Família Real

Escola abre desfiles desta segunda com a missão de superar a São Clemente, que trouxe o mesmo tema

AMANDA VALERI, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2008 | 10h04

Ao falar o nome Mocidade Independente de Padre Miguel, logo vem à cabeça uma escola de samba futurista, "high tech", que abusa de tecnologia e recursos para efeitos especiais. Mas o carnaval de 2008 marcará uma nova era da escola - a do luxo e dos detalhes. Uma homenagem ao bicentenário da chegada da Família Real ao Brasil, o enredo O Quinto Império: De Portugal a Brasil, Uma Utopia na História trará uma estética esplêndida, sem pirotecnia. Saiba como foram os desfiles em SP no 2º diaSaiba como foram os desfiles em SP no 1º diaVeja as melhores imagens dos desfiles em SP Qual escola de samba será campeã em SP?  Qual escola de samba será campeã no Rio?  Tudo sobre as escolas do Rio e os sambas  As melhores imagens do Carnaval pelo Brasil   Veja o que abre e o que fecha no feriado de Carnaval de SP  A garantia é do carnavalesco da Mocidade, Cid Carvalho, que estréia este ano na verde-e-branca da zona oeste do Rio, abrindo os desfiles desta segunda-feira, 4. "Será uma apresentação rebuscada, grandiosa, repleta de luxo, com muito requinte, e, especialmente muita pedraria, pois cita muitas cortes européias", afirmou Cid Carvalho, que concorrerá com o mesmo assunto com a São Clemente, que inaugurou os desfiles, de domingo, e a Imperatriz Leopoldinense, terceira a desfilar nesta segunda. O carnavalesco assegura que não será um desfile com foco apenas na vinda de d. João VI ao País. Cid Carvalho afirma que todas as atenções foram direcionadas a D. Sebastião, monarca português do século XII, que tinha como objetivo transformar Portugal no quinto império universal, ao lado de potências da época, como Pérsia, Babilônia, Grécia e Roma. "Esse será o fio condutor de todo o desfile. O mais interessante é que, quando havia uma crise lá, eles transferiram para o Brasil este sonho de se transformarem uma potência na época", ressaltou, emocionado, ao falar do enredo que pode levar a Mocidade a conquistar as primeiras posições, depois de amargurar o 11º lugar em 2007, quando quase foi rebaixada para o Grupo de Acesso A. "O trabalho não foi só nosso, foi da comunidade inteira. Contamos com a garra de todos os componentes da escola", continuou, afirmando que a expectativa é que participem 4,2 mil integrantes no dia da apresentação. O desfile da agremiação de Padre Miguel está previsto para começar às 21 horas desta segunda, abrindo o espetáculo na Avenida Marquês de Sapucaí no segundo e último dia de apresentações. Composto por Marquinho Marino, Gustavo Henrique e Igor Leal, interpretado por Bruno Ribas, o samba-enredo conta a chegada da família real ao Rio, o sonho do quinto império na cidade maravilhosa e uma viagem ao Sertão nordestino, onde se pregava a volta de d. Sebastião. A bateria, marca registrada da Mocidade e conhecida pelas paradinhas, terá como rainha a modelo Thatiana Pagung, que ocupa pela segunda vez o posto. Este ano, porém, haverá uma surpresa - a percussão fará umaquase imperceptível paradinha, diferente do visto em 2007, quando o "coração" da escola permaneceu quieto por eternos 15 segundos. A Mocidade, fundada em 10 de novembro de 1955, levará para a passarela do samba nomes conhecidos no meio artístico e musical. A atriz da novela "Duas Caras" Juliana Alves, da Rede Globo de Televisão, será destaque num carro modificado especialmente para ela. Outros destaques e celebridades são o ator Marcos Palmeira, a apresentadora e atriz e apresentadora Regina Casé, o músico do grupo Cidade Negra Da Gama, o apresentador Alexandre Herson e os atores Rocco Pitanga, Stefan Nercessian e Ronnie Marruda. Sem revelar a quantia do investimento no carnaval deste ano, o carnavalesco tem um único objetivo: fazer uma bela apresentação e superar a má fase da escola: "Queremos um lugarzinho entre as campeãs. Pode parecer sonho, como nosso enredo, mas estamos trabalhando para realizá-lo", destacou Cid Carvalho. A agremiação começou a desfilar, oficialmente em 1957 com o enredo "Baile das Rosas". Há mais de dez anos que a escola não levanta o caneco. As conquistas foram 1996, 1991, 1990 e 1985.  Confira o samba-enredo da Mocidade Independente: O Quinto Império: de Portugal a Brasil, Uma Utopia na História Portugal... Bendito seja!Abençoado pelo criadorUma utopia, um destino, um sonhoMístico, de grandes realezasSonhar... Com glórias um rei desejarE o sol volta a brilharCom a esperança no olharMas desapareceu, como um grão de areia no desertoE encantado renasceu em cada ser, em cada coraçãoPara afastar a cobiça, na busca do ideal:O quinto império universalDeixa o meu samba te levarE a minha estrela te guiarÀ praia dos Lençóis, nas crenças do MaranhãoTem um castelo, que é do Rei SebastiãoNo Rio de Janeiro aportaram caravelasTrazendo a família realProgresso em cores combinadasDebret retratava a transformaçãoNas terras tropicais do meu BrasilA herança... A dor, o mito ressurgiuEis o guerreiro "sebastiano"o mais ufano dos lusitanosEm verde-e-brancoQue traz no peito uma estrela a brilharDe norte a sul desta naçãoFaz a manifestação popularMinha Mocidade... GuerreiraTraz a igualdade, justiça e pazHoje o quinto império é brasileiro (amor)Canta Mocidade... canta!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.