Moda brasileira do 'ficar' chega ao verão italiano

Pesquisa mostra que 25% das italianas querem ser 'protagonistas' do 'jogo'

Valquíria Rey, BBC

27 Julho 2007 | 06h04

Uma pesquisa feita por uma associação de psicólogos e sexólogos com mulheres em toda a Itália indica que o comportamento brasileiro de "ficar" será moda no verão italiano. Rimanere ou restare foram os termos correspondentes escolhidos pelos responsáveis do levantamento para "o ato típico dos jovens brasileiros de colecionar o maior número possível de beijos em discotecas e casas noturnas em uma única noite" Para os pesquisadores, o ato de "ficar" é "uma moda que desembarca na Itália diretamente do Brasil". "O verão sempre chega com uma moda diferente. Acredito que muitas italianas vão usar o comportamento brasileiro como escudo para fazer o que não é costume por aqui", disse à BBC Brasil a psicóloga Serenella Salomoni, que coordenou a pesquisa. "Elas não estão inventando nada de novo. Aqui todo mundo namora. Mas, agora, estão usando a desculpa de que, se as brasileiras podem fazer lá, nós também podemos fazer por aqui." De acordo com o levantamento, feito pela Associação Mulheres e Qualidade de Vida, 25% das italianas declarou que pretende ser "protagonista deste novo jogo" durante o verão. Além da aposta do "ficar" nas praias mais badaladas da Itália, o levantamento diz que as italianas pretendem ir além. "Não basta apenas dizer que fez. Entre as mulheres entrevistadas, 23% prometem tirar fotos dos rapazes seduzidos", afirmou Serenella. "Elas querem mostrar para as amigas uma espécie de estatística segura, provando quem conseguiu seduzir mais neste verão." O levantamento feito com 800 italianas, entre 18 e 45 anos, diz que, depois das fotos, a ambição de 21% das mulheres é ter a cópia da chave ou cartão magnético do quarto de hotel da "suposta vítima". Já 18% indicaram que o melhor troféu será roubar uma cueca ou qualquer outra peça íntima. Para 15%, o maior número de mensagens recebidas por celular num único dia será usado para coroar a capacidade de sedução. 11% disseram que a melhor comprovação será levar para casa um colar ou a pulseira do seduzido. Outro dado do estudo confirma mudança de comportamento entre mulheres casadas ou com namorados: 24% das italianas comprometidas confessaram que vão trair seus pares durante as férias. Na avaliação de Serenella Salomoni, ainda é difícil prever se o "ficar" terá vida além do verão de 2007 na Itália. "As mulheres italianas dizem que querem seduzir, ter aventuras, trair, provocar ciúmes nos companheiros", afirmou. "Mas não sabemos ainda se o ''ficar'' será apenas uma moda deste verão ou um comportamento que veio para ficar." Segundo Serenella, para a mulher italiana, um beijo é muito importante, tem muito erotismo em jogo, é como um ato sexual. "No verão, todos querem ousar, fazer coisas diferentes. Mas não acredito que as italianas conseguirão superar as brasileiras como colecionadoras de beijos", assegurou ao classificar o verão deste ano para as mulheres italianas como o da sedução, da transgressão e da tentação.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
Itália namoro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.