Moderação na expansão do crédito é caminho natural--Hamilton

O diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, afirmou nesta sexta-feira que a moderação do mercado de crédito reflete uma situação de normalidade.

Reuters

10 de agosto de 2012 | 10h27

Hamilton afirmou que a expansão passou de cerca de 20 por cento nos últimos anos para ao redor de 15 por cento em termos anualizados. "Após anos de forte crescimento, essa moderação seria o caminho natural do mercado de crédito", disse.

Disse que para que o processo de expansão econômica ocorra com inclusão social é preciso haver crescimento no mercado de crédito. "A ampliação do crédito é consequência e causa do crescimento da economia (…) temos espaço para crescer de forma segura", sustentou.

O BC prevê alta de 15 por cento do estoque total de crédito para este ano, contra 19 por cento no ano passado. Em 12 meses terminados em junho, o estoque se expandiu 17,9 por cento.

Hamilton minimizou o nível de endividamento das famílias, argumentando que o comportamento da renda pessoal com a dívida está hoje em 43 por cento, impulsionado pela compra de imóveis. "Quando excluímos o crédito habitacional, essa relação cai para cerca de 30 por cento e mostra que está crescendo de forma moderada", afirmou.

O diretor reafirmou também que a inadimplência em operações de crédito vai continuar recuando neste semestre. Segundo ele, o aumento nos últimos meses em nenhum momento colocou em risco o sistema financeiro.

Em junho, o calote médio ficou em 5,8 por cento, o leve recuo de 0,1 ponto percentual em relação a maio foi o primeiro desde março.

(Reportagem de Patricia Duarte)

Mais conteúdo sobre:
BACENHAMILTON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.