Moinhos aguardam trigo argentino

Expectativa do Brasil, principal comprador, é a de que a Argentina [br]retome exportações até o início de maio

Jane Miklasevicius, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2008 | 02h49

Os moinhos brasileiros aguardam para esta semana uma definição do governo argentino em relação à reabertura das exportações de trigo. As últimas licenças para exportação do cereal foram emitidas em dezembro e desde então o Brasil, principal comprador, espera a liberação de novos documentos.No mercado brasileiro, os traders acreditam que a Argentina deve voltar a exportar trigo nos primeiros dias de maio. A dúvida é em relação ao volume que será liberado. O governo argentino havia prometido liberar 400 mil toneladas por mês, mas especula-se que esse volume pode ser reduzido para 100 mil toneladas. O Brasil consome 800 mil toneladas por mês, entre trigo importado e nacional.Os últimos negócios com trigo argentino foram fechados no fim de 2007, mas os embarques do cereal para o Brasil aconteceram ao longo do primeiro trimestre. Tanto que o Mercosul, em especial a Argentina, continuou sendo o principal fornecedor de trigo para o Brasil no período.Segundo dados do Ministério da Agricultura, no mês passado o volume de importação de trigo recuou em relação a fevereiro deste ano e a março de 2007. O Brasil importou no mês passado 528 mil toneladas, ante 1,14 milhão de toneladas em fevereiro e 781.500 toneladas em março de 2007. As importações de farinha de trigo também caíram. Em março, os desembarques do produto somaram 61.600 toneladas, ante 75.200 toneladas no mês de fevereiro.TRIGO AMERICANOComentários do mercado dão conta de que o Brasil importou 83 mil toneladas de trigo dos Estados Unidos na semana passada. A negociação só não é mais agressiva porque a indústria tem esperança na abertura do mercado argentino, que, pela proximidade, garante produto num prazo mais curto e, em geral, a um preço menor. Mas, segundo um trader, se não houver novidades até a próxima semana, um número maior de moinhos deve retomar as compras no Hemisfério Norte, a fim de garantir o abastecimento.O adiamento dos negócios também visa a preços mais baixos, à medida que se aproxima a oferta da safra americana. Hoje, segundo o mercado, já é possível comprar trigo americano para embarque em maio a R$ 395/t FOB Golfo. Acrescido de frete e adicional de Marinha Mercante, o preço do trigo no Porto de Santos é de R$ 480 a tonelada.No mercado interno, os preços do trigo seguem estáveis em R$ 800 a tonelada. Com o recuo do dólar na semana passada, compradores tentaram fechar negócio a preços mais baixos, mas não houve acordo. Vendedores deram apenas prazo de 30 dias para pagamento. Segundo corretores, produtores apostam em preços remuneradores para o cereal na entrada da nova safra, em agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.