Momento é de cuidado com crescimento do país--Augustin

BRASÍLIA, 16 MAI - O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse nesta quarta-feira que, dada a volatildiade internacional, esse é o momento de cuidado e preocupação com o crescimento da atividade no país.

REUTERS

16 Maio 2012 | 11h11

"No momento de volatilidade, é mais difícil prever com exatidão o que vai acontecer (com o crescimento)", afirmou o secretário, após reunião da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

O governo já avalia que o país não crescerá os 4,5 por cento previstos para este ano. Dentro da equipe econômica já há projeções de que essa expansão ficará perto de 3,2 por cento, como prevê o mercado.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo publicada nesta quarta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o piso de crescimento de 2,7 por cento "está muito bom" para o Brasil neste ano, referindo-se à expansão vista no ano passado.

Augustin afirmou ainda que o governo pode antecipar receitas de estatais para garantir o cumprimento da meta cheia do superávit primário -economia feita pelo setor público para pagamento de juros- estipulado em 139,8 bilhões de reais neste ano.

Essa possibilidade de receita extra de dividendos ocorre num cenário de incerteza de crescimento econômico, que pode afetar a arrecadação de tributos e impostos, e aumento dos investimentos públicos federais.

"Estamos muito avançados em termos de cumprimento da meta. Nós iniciamos o ano com resultados muito positivos. Portanto, não tem nenhuma razão para não mantermos total tranquilidade quanto ao cumprimento da meta cheia", afirmou.

Augustin reafirmou que o investimento crescerá em 2012 acima do PIB nominal. "O investimento vai retomar um patamar de crescimento maior ao longo do ano... Isso é importante para manter a atividade, aprofundar, e acelerar o reaquecimento da atividade econômica", disse.

O governo divulga até o dia 20 a revisão bimestral de receitas e despesas do Orçamento e pode incluir também uma nova projeção de crescimento econômico.

(Reportagem de Tiago Pariz)

Mais conteúdo sobre:
MACRO ARNO ATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.