Montadoras recuperam vagas cortadas em 2003

A Mercedes-Benz, do grupo DaimlerChrysler, acaba de contratar 200 funcionários e, em fevereiro, vai ampliar novamente o quadro em mais 180 pessoas, todas para a fábrica de caminhões e ônibus em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Em menos de duas semanas deste início do ano, as montadoras estão perto de recuperar todas as vagas cortadas em 2003. Além da Mercedes, anunciaram contratações a General Motors, Fiat, PSA Peugeot-Citroën e Scania, num total aproximado de 910 novos postos. No ano passado, o setor demitiu 979 trabalhadores e encerrou o período com 90,8 mil empregados, o mais baixo nível dos últimos 30 anos. O resultado só não foi pior porque o segmento de máquinas agrícolas abriu 1.918 vagas, reduzindo o impacto dos 2.897 postos cortados pelas fábricas de automóveis e veículos pesados. Para este ano, a expectativa das montadoras é voltar ao patamar de 2 milhões de unidades produzidas, depois de um 2003 apenas regular e um 2002 desastroso. A Audi, por exemplo, jogou a toalha e anunciou que não fará mais carros no Brasil a partir de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.