Morar perto de rua movimentada aumenta risco cardíaco

Viver perto de uma avenida movimentada pode ser ruim para o coração, já que a exposição constante à poluição dos motores contribui para o endurecimento das artérias, o que leva a doenças cardíacas e derrames, disseram pesquisadores alemães na segunda-feira. "A descoberta mais importante do nosso estudo é que viver perto de um tráfego elevado, uma importante fonte de poluição urbana, está associado à arteriosclerose nas artérias coronárias -- os vasos sanguíneos que alimentam o coração", disse Barbara Hoffmann, que comandou o estudo, em nota. "Este é o primeiro estudo a realmente mostra uma relação entre a exposição de longo prazo ao tráfego e a arteriosclerose coronária", disse Hoffmann, da Universidade de Duisburg-Essen, na Alemanha. O estudo foi publicado na edição desta semana da revista Circulation, da Associação Americana do Coração. Estudos anteriores haviam vinculado a poluição atmosférica ao risco cardíaco, mas esta é a primeira vez que se estabelece uma conexão com o tráfego de veículos. O estudo examinou 4.494 adultos de 45 a 74 anos em três grandes cidades do vale do Ruhr, região muito industrializada da Alemanha. Os médicos examinaram os pacientes, buscando especificamente calcificações nas artérias coronárias, o que ocorre quando as placas de gordura nas paredes das artérias endurecem. Os pesquisadores concluíram que, em comparação com pessoas que viviam a mais de 200 metros de vias movimentadas, a chance de calcificação elevada nas artérias coronárias era 63 por cento maior para os que viviam a menos de 50 metros das grandes avenidas. Para pessoas em um raio de 51 a 100 metros, a chance era 34 por cento maior. Ficando a uma distância de 101 a 200 metros, a probabilidade de problema cardíaco é apenas 8 por cento superior. Esses resultados levam em conta idade, gênero e fatores como tabagismo e hipertensão. Um estudo complementar, com acompanhamento dos pacientes por cinco anos, deve ser concluído em 2008. Hoffmann disse que as autoridades devem se conscientizar do problema. "O dano potencial devido à proximidade com o tráfego pesado deve ser considerado quando do planejamento de novos prédios e ruas", afirmou. REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.