Morre a nona pessoa por gripe aviária na China

Um homem de 32 anos falecido na província de Cantão foi confirmado nesta segunda-feira pelo Ministério da Saúde como a nona morte por gripe aviária na China.O ministro de Saúde da China, Gao Qiang, afirmou em uma sessão da Assembléia Nacional do Povo (ANP, Legislativo), reunida em Pequim, que após analisar os contágios em diversos lugares da China, conclui-se que a maioria procede das aves migratórias. A agência Xinhua destacou que os analistas descartaram evidências que o vírus H5N1 tenha sofrido mutação na China de modo que possa ser transmitido entre seres humanos.As análises mostram que os vírus isolados de humanos ainda são muito diferentes dos da gripe aviária em aves, afirmou a agência. "Não houve transmissão humana da gripe aviária na China", declarou Gao ao jornal China Daily. As autoridades provinciais de Cantão tinham anunciado a morte deLao em 4 de março, quando ainda faziam testes para saber se foi pelo vírus H5N1. Nesta segunda-feira, o Ministério confirmou que se trata do nonocaso mortal na China.Com o falecido, que desenvolveu febre e pneumonia, sobe para quinze o número de pessoas que contraíram na China o H5N1 (das quais quatro se recuperaram e duas estão em tratamento hospitalar), todas de aves e sem transmissão humana confirmada. Segundo informou hoje o Ministério, Lao era um desempregado da cidade de Guangzhou, capital da província de Cantão, que visitou em diversas ocasiões um mercado agrícola, e residia perto de um matadouro de aves.Até 1º de março, 174 casos humanos de gripe aviária foram registrados em 30 países com 94 mortes (Vietnã, 42, Indonésia, 20, Tailândia, 14, China, 8, Camboja, 4, Turquia, 4, e Iraque, 2) tinham sido comunicados à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Agencia Estado,

06 de março de 2006 | 01h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.