The New York Times
The New York Times

Morre, aos 100 anos, Hashimoto, roteirista de Kurosawa

Seu roteiro para 'Rashomon' se tornou a pedra de toque do moderno cinema japonês; o filme está sendo relançado em DVD

Margalit Fox, The New York Times

21 Julho 2018 | 16h57

Shinobu Hashimoto, roteirista cujo primeiro filme, Rashomon, se tornou a pedra de toque do moderno cinema japonês, morreu na quinta-feira, 19, aos 100 anos, em decorrência de uma pneumonia, em sua casa, em Tóquio. Hashimoto foi colaborador do mais popular cineasta japonês, Akira Kurosawa, em filmes como Os Sete Samurais.

 

Hashimoto era o último integrante vivo da trupe de roteiristas que trabalharam para Kurosawa (1910-1998). O cineasta gostava que seus roteiros fossem escritos em colaboração com outros roteiristas, o que fez Hashimoto trabalhar ao lado de outros colegas, como Hideo Oguni, Ryuzo Kikushima e o próprio Kurosawa.

 Hashimoto contribuiu com o roteiro de oito clássicos de Kurosawa, entre 1950 e 1970. Entre os filmes estão Trono Manchado de Sangue (1957), uma adaptação de Macbeth ambientada no Japão feudal, e A Fortaleza Escondida (1958). Sua última colaboração foi  Dodes’ka-den (1970), que se passa nas favelas de Tóquio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.