Morre, aos 71, Nora Ephron

Do seu primeiro romance, O Amor é Fogo (1983, ed. Rocco), protagonizado por uma editora da seção de gastronomia de um jornal, a seu último filme, Julie & Julia (2009), em que uma blogueira refaz as receitas do livro de Julia Child, Nora Ephron, escritora, roteirista e diretora, sempre destacou a comida em sua obra. Quando Sally termina o orgasmo forjado em um restaurante na histórica cena de Harry & Sally, uma senhora - Stelle Reiner, figurante e mãe do diretor do filme, pede ao garçom: "Vou comer o que ela está comendo".

O Estado de S.Paulo

28 Junho 2012 | 03h11

Nora Ephron escreveu para o blog Epicurious sobre a cozinheira sulina que trabalhava na casa de sua família. E para a revista Gourmet sobre seu apetite por cerejas no verão. À revista Newsweek ela disse, em 2009: "Todo mundo morre, não há como evitar, e eu não acredito, nem por um segundo, que a manteiga possa ser a causa da morte de uma pessoa. Comer muito talvez seja, mas não a manteiga".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.