Morre detenta internada após rebelião no Espírito Santo

Uma das 39 detentas feridas em uma rebelião na extinta Penitenciária Estadual Feminina (PEF), em Cariacica, na região metropolitana de Vitória, morreu na tarde de ontem. Maria da Penha da Silva Freitas, de 45 anos, sofreu intoxicação por monóxido de carbono em decorrência de ter respirado grande quantidade de fumaça no incêndio causado pelas presas no motim do dia 15, de acordo com informações da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus).

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

26 de agosto de 2011 | 10h17

Ela estava internada no Hospital Dório Silva. De acordo com a secretaria, a detenta teve morte encefálica causada por insuficiência renal aguda, septicemia e síndrome respiratória.

Na rebelião, as presas colocaram fogo em colchões e houve a necessidade da intervenção do Corpo de Bombeiros, que demorou cerca de 30 minutos para controlar as chamas. O movimento foi uma reação das presas a desativação da PEF e às transferências previstas para o novo Centro de Detenção Provisória (CDP) Feminino de Vila Velha, localizado em Xuri.

A penitenciária abrigava 346 detentas. A presa apontada como a responsável pelo motim foi encaminhada ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Campo Grande para o registro da ocorrência. Por causa da rebelião, a penitenciária teve sua desativação antecipada.

Tudo o que sabemos sobre:
detentasrebeliãomorteES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.