Morre idosa que recorreu à Justiça por vaga em UTI

A pensionista Eda Nascimento de Aquino, de 75 anos, morreu na manhã de ontem no Hospital Miguel Couto, no Rio, onde estava internada desde domingo. Ela só conseguiu atendimento após fazer três pedidos à Justiça.

O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2011 | 03h02

Moradora de Mesquita, na região metropolitana, Eda começou a sentir dores abdominais neste mês. A família buscou atendimento em postos da região, mas não havia vaga. No dia 18, ela foi atendida na Santa Casa do Rio, mas os médicos constataram que o estado era grave e exigia internação em UTI, o que não poderia ser feito na Santa Casa.

A família entrou na Justiça, que obrigou o governo a providenciar uma vaga em UTI, o que não ocorreu. A família recorreu novamente e, no domingo, Edna entrou no hospital Miguel Couto, onde iria para a UTI. Com úlcera gástrica perfurada, ela foi submetida a uma cirurgia e morreu em seguida. O hospital afirma que atendeu a ordem judicial em menos de 24 horas. / FÁBIO GRELLET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.