Morre papa Shenouda, maior autoridade cristã do Egito

O papa da Igreja Ortodoxa Copta do Egito, Shenouda 3o, patriarca da maior parte dos mais de 12 milhões de cristãos do Egito, morreu no sábado de complicações associadas à sua idade avançada, disse seu assessor político à Reuters.

REUTERS

17 Março 2012 | 20h17

Os sinos badalaram no bairro de Abbasiya, onde está localizada a principal catedral cóptica, no Cairo, quando a notícia se espalhou.

Shenouda, de 88 anos, tornou-se o 117o papa de Alexandria em 1971 e era querido tanto pelos cristãos quanto pelos muçulmanos do Egito.

Seu sucessor terá o papel importante de firmar a posição da igreja no país, depois da derrubada do presidente Hosni Mubarak no ano passado. Desde então, os partidos islâmicos venceram as eleições parlamentares e vão dominar o debate sobre a nova Constituição do país.

O padre Anglos Ishaq, uma liderança no norte do Egito, disse que um substituto temporário será designado para atuar como chefe da igreja até que um novo papa seja escolhido.

"Ainda é muito cedo para saber o que vai acontecer, mas o que sabemos é que, o mais antigo bispo da Santa Sé será apontado como interino, até que um novo papa seja escolhido através de eleições de diversos concílios em diferentes províncias."

"Todos os detalhes sobre o funeral e o tempo que seu corpo ficará exposto à visitação dos fiéis para que eles recebam benção, serão decididos pelos médicos," disse o padre Anglos.

Mais conteúdo sobre:
EGITO MORREPAPA COPTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.