Morre químico que previu buraco de ozônio

Frank Sherwood Rowland, químico vencedor do prêmio Nobel que chamou a atenção para a degradação da camada de ozônio, morreu no sábado, nos EUA, aos 84 anos, por complicações da doença de Parkinson. Ele foi um dos três cientistas que dividiram o Nobel de Química em 1995, por explicarem como a camada de ozônio é formada e decomposta por processos químicos na atmosfera. O trio calculou que a camada de ozônio seria destruída em questão de décadas se a humanidade seguisse utilizando os clorofluorcarbonos (CFCs).

O Estado de S.Paulo

13 Março 2012 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.