Mortalidade infantil no País cai 58% de 1990 a 2008

A taxa de mortalidade entre crianças caiu 58% no Brasil entre 1990 e 2008. O número de óbitos no período passou de 53,7 para cada mil nascidos vivos para 22,8, segundo divulgou hoje o Ministério da Saúde. Caso o ritmo de queda seja mantido, o Brasil deverá antecipar em três anos o cumprimento de uma das Metas do Milênio, que é reduzir a mortalidade na infância para 17,9 óbitos por mil nascidos vivos.

LÍGIA FORMENTI, Agência Estado

14 de dezembro de 2010 | 19h27

Apesar da melhora dos indicadores, há ainda muito o que se fazer. "Nossos indicadores estão ainda bem abaixo dos apresentados por países de alta renda. No Japão, por exemplo, o índice de mortalidade infantil é de 3 casos por mil nascidos vivos", disse o diretor do Departamento de Análise de Situação de Saúde do ministério, Otaliba Libânio Neto.

O levantamento feito pelo ministério revela também uma queda significativa da desnutrição infantil entre 1989 e 2006. No período, a proporção de crianças menores de cinco anos com peso abaixo do ideal caiu de 7,1% para 1,8%. "É uma redução sustentável, provocada pelo Programa da Saúde da Família, melhor escolaridade das mães, melhores condições de vida, melhor saneamento", afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.