Morte de civis na Síria é 'simplesmente inaceitável', diz Annan

O enviado especial conjunto da Organização das Nações Unidas e da Liga Árabe, Kofi Annan, disse nesta segunda-feira que o mundo deve enviar uma mensagem clara e unida de que a morte de civis na Síria é "simplesmente inaceitável".

REUTERS

12 Março 2012 | 14h21

Ele está na Turquia nesta segunda-feira, depois de se encontrar no fim de semana com o presidente sírio, Bashar al-Assad, em Damasco.

Annan disse que estava tentando levar todos à mesa de negociações por meio de um processo político, além de garantir a liberação do acesso humanitário e o fim da morte de civis.

"Desde que cheguei na região, estou seguindo muito, muito de perto os acontecimentos na Síria e há relatos de graves e terríveis atrocidades e abusos", disse Annan a repórteres em Ancara, antes de se encontrar com o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan.

"O assassinato de civis deve acabar agora. O mundo precisa enviar uma mensagem clara e unida de que isso é simplesmente inaceitável."

Annan, que manteve conversas com líderes do Catar antes de visitar a Turquia, disse que estava tentando chegar a uma solução o mais rapidamente possível e proporcionar alívio para os civis nas áreas mais atingidas pelos combates entre as forças leais a Assad e os rebeldes.

"Vamos avançar e tentar garantir que o acesso humanitário seja aberto, que as mortes de civis terminem e que tenhamos todos à mesa por meio de um processo político", disse.

"Não vai ser fácil. Vai levar tempo, esperemos que não muito tempo, porque não podemos permitir que isso se arraste mais... Isso também não vai ser resolvido hoje (terça-feira)."

(Reportagem de Tulay Karadeniz)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAANNANMENSAGEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.